Home Business O banco borboleta, ou Novo Banco, faz das suas, de novo !

O banco borboleta, ou Novo Banco, faz das suas, de novo !

por Joffre Justino

O que escandaliza a sério é recordar uma noticia assim desenvolvida pelo Expresso a 03.03.2018, como segue “Álvaro Sobrinho, ex-CEO do BES Angola (BESA), é suspeito de desviar 615 milhões de euros do banco que liderou, revela o Expresso na sua edição de hoje, com base em documentos que foram obtidos pela revista alemã Der Spiegel e partilhados com o consórcio europeu de jornalistas de investigação [EIC – European Investigative Collaborations] de que o jornal Expresso faz parte.”, e mais de um ano depois continua o folclore do banco borboleta, isto é o Novo Banco.

Mas confessamos pôr uma “marca bancária” com uma borboleta um dos mais precários e enganadores seres vivos é um péssimo indicio de marketing … 

E recordamos que Apvaro Sobrinho “empresário luso-angolano terá sido o beneficiário efectivo de três empresas angolanas que receberam de forma injustificada, do BESA, 433 milhões de dólares (352 milhões de euros). Além disso, Sobrinho terá recebido também 182 milhões de dólares (148 milhões de euros) através de duas empresas offshore, o que totaliza 615 milhões de dólares (500 milhões de euros).”, e de novo, que é feito deste cidadao que gozou com a AR como quis? 

Eis porque nao convirdamos totalmente com o que o PCP afirmou hoje que “os portugueses continuam a pagar” um Novo Banco gerido “ao serviço dos interesses monopolistas”, depois dos prejuízos de 400,1 milhões de euros e o possível pedido de 541 ao Fundo de Resolução, pois o certo é que nao são só os portugueses a pagar pois ainda ha a pagar os milhoes de angolanos espoliados pela familia dos Santos e seus sequazes ! 

“Com mais de sete mil milhões de euros entregues pelo Estado ao Novo Banco, desde a resolução do BES [Banco Espírito Santo] em agosto de 2014, os portugueses continuam a pagar os custos de uma política de gestão ao serviço dos interesses monopolistas”, pode ler-se num comunicado do PCP enviado hoje às redações, comunicado que realçamos para questionar – o que anda a fazer a justiça portuguesa? A preocupar-se com menores dos familiares do governo e a deixar escapar os 5 milhares de milhoes que Alvaro Sobrinho tomou como seus vindos do BES ?

O Novo Banco registou um prejuízo de 400,1 milhões de euros no primeiro semestre do ano, adicionado ao prejuízo de 212,2 milhões no mesmo período de 2018, comofoi hoje divulgado o que representa um agravamento de 88,5% dos prejuízos do banco.

Assim o Novo Banco ja se prepara para pedir mais 541 milhões de euros ao Fundo de Resolução, uma estimativa decorrente dos prejuízos de 400,1 milhões de euros no primeiro semestre.

O PCP lembra que “a Lone Star [fundo detentor de 75% do banco] usa mais uma vez a garantia pública de 3,9 mil milhões de euros que o atual Governo lhe concedeu”, fazendo do processo de venda do banco ao fundo verdadeiramente “ruinoso para o país”.

O PCP acentua que “o novo pedido da Lone Star” acontece “… o banco, que já reduziu em mais de 2.000 o número de trabalhadores desde a resolução do BES, se prepara para despedir mais 400 trabalhadores, como se depreende do pedido feito ao Governo de alargamento da quota de trabalhadores despedidos a quem podem atribuir subsídio de desemprego … o Estado paga para limpar os ativos problemáticos, paga o despedimento de trabalhadores e a Lone Star cria as condições para vir a vender o banco e retirar dessa venda um lucro significativo como faz habitualmente”, aponta o partido liderado por Jerónimo de Sousa e tudo porque o Governo, no processo de venda do banco, esteve “alinhado com as imposições da Comissão Europeia”.

Para o PCP,  “… a privatização foi uma má opção com custos que podem ultrapassar os 10 mil milhões de euros … A solução que melhor teria servido os interesses do país e dos portugueses, como o PCP defendeu e continua a defender, é a nacionalização do banco”, conclui o comunicado comunista.

Não somos estatistas mas este banco borboleta ja voa à solta à demasiado tempo! 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.