Home Direitos e Deveres Dar o dito por nao dito, um erro grave da ANTRAM

Dar o dito por nao dito, um erro grave da ANTRAM

por Joffre Justino

Dois sindicatos o sindicatos Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e o Independente dos Motoristas de Mercadorias estiveram reunidos com a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM), sem que tivesse havido um qualquer resultado. 

Na verdade a ANTRAM recusou continuar com o que já tinha sido acordado ( aumentos salariais plurianuais) e assim as negociações não pararam a ameaça de greve dos trabalhadores que desta feita têm tanta razão como o facto dos diretores que assinaram o anterior acordo não estarem na mesa de negociações para fugirem às responsabilidades segundo os sindicatos.

A reunião, mediada pelo Ministério do Trabalho, durou quase cinco horas, porém o pré-aviso anunciado no dia 6 deste mês manteve-se e desta feita os sindicatos surgem com razão plena neste processo enquanto que o ANTRAM surge somente com o poder de não haver factor surpresa na greve.

Os sindicatos independentes, e a federação sindical da CGTP, têm vindo a negociar com a associação empresarial do setor, a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias ANTRAM, a revisão do contrato coletivo, sob a mediação da Direção Geral do Emprego e Relações de Trabalho do Ministério do Trabalho que se encontra limitada perante a recusa da ANTRAM em assumir o anteriormente acordado. 

No final da reunião, o vice-presidente do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas informou o obvio a greve afeta todis os trabalhadores do sector do transporte de mercadorias e deu uma novidade – que conta com o apoio dos sindicatos espanhóis. “Não temos tempo determinado para terminar a greve”, afirmou ainda Pedro Pardal Henriques.

“Há mais de 20 anos que se anda a gozar com estas pessoas. Estão cansados, chegou a altura de dizerem que não aceitam mais”, acrescentou Pardal Henriques acusou ainda a ANTRAM de “fugir às responsabilidades”, criticando o facto de o presidente da associação ter faltado à reunião desta segunda-feira. “Deram o dito por não dito” pois recusam o que está já assinado.

Segundo a ANTRAM  o Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas foi à reunião para ir para a greve “ … sai mais uma vez da reunião sem conhecer as contrapropostas da ANTRAM”, o que é estranho pois a reunião durou cinco horas .

André Matias de Almeida o porta voz patronal desvaloriza a greve agora agendada para 12 de agosto. “Os portugueses já estão habituados as estes procedimentos, as empresas estarão preparadas. Não creio que esta tenha o impacto da outra greve”, mostrando um “rei na barriga” que pode sair torto!

Na realidade se criticamos a outra greve se criticamos o facto de haver na direção de um sindicato quem não seja do setor e ate seja patrão a verdade é que a ANTRAM não está a cumprir um acordo assinado e o governo tem o dever de atender a essa realidade- colocar a ANTRAM nos “carris do acordado”.

JJ

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.