Home Opinião DesMOROnou!!! Jornal prova fraude judicial na Lava Jato para prender Lula

DesMOROnou!!! Jornal prova fraude judicial na Lava Jato para prender Lula

por Silvio Reis

Na tarde de domingo, 09.06, o jornal The Intercept Brasil divulgou, com exclusividade, três reportagens sobre trocas de mensagens entre o ex-juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol, do Ministério Público Federal (MPF), durante a investigação da Lava Jato.

Produzidas a partir de arquivos enormes e inéditos – incluindo mensagens privadas, gravações em áudio, vídeos, fotos, documentos judiciais e outros itens – enviados por uma fonte anônima, as três reportagens revelam comportamentos antiéticos e transgressões que o Brasil e o mundo têm o direito de conhecer”, diz a abertura das reportagens no Intercept.

O conteúdo  abrange mensagens de outubro de 2015 a 2018, incluindo o  impeachment de Dilma Rousseff. Não deixa dúvida de que decisões pessoais e estratégicas foram praticas para Lula não concorrer à eleição presidencial de 2018. Pelo Código Penal Brasileiro, este tipo de atitude é proibido. Sérgio Moro extrapolou a função de juiz na Lava Jato.

Por questões de segurança, a documentação original das reportagens está fora do Brasil. The Intercept informa que obteve as revelações publicadas foram recebidas antes de o celular do atual ministro da Justiça Sérgio Moro ter sido hackeado em 06.06.

Conteúdos explosivos

Para impedir a candidatura de Lula na eleição de 2018, primeiramente a Lavo Jato agiu para tornar o candidato  inelegível. Segundo as conversas de Moro e Dallagnol, as investigações de Lula foram aceleradas e houve condenação rápida em segunda instância.

A prisão de Lula, em 07.04.2018, favoreceu o candidato Jair Bolsonaro. Atualmente, o ex-juiz Moro é o ministro da Justiça de Bolsonaro. O próprio presidente já afirmou que vai indicá-lo para uma vaga no Supremo Tribunal Federal, STF.

As reportagens no Intercept Brasil revelam que a Lava Jato agiu como uma organização criminosa. O tríplex do Guarujá foi relacionado à Petrobrás para que a investigação continuasse em Curitiba. Se fosse julgado em São Paulo, Sérgio Moro não teria poder de decisão.

Na prisão, Lula impedido de dar entrevista para não beneficiar  o candidato petista Fernando Haddad. Entrevistas com  Lula só foram liberadas  pela Justiça a partir de 2019.  

Ministério Público se manifesta

Na noite de domingo, o Ministério Público Federal. MPF, se manifestou sobre as reportagens. Será confirmado se o conteúdo é fake news.

Segundo o pronunciamento do MPF, “… os procuradores da Lava Jato em Curitiba mantiveram, ao longo dos últimos cinco anos, discussões em grupos de mensagens, sobre diversos temas, alguns complexos, em paralelo a reuniões pessoais que lhes dão contexto. Vários dos integrantes da força-tarefa de procuradores são amigos próximos e, nesse ambiente, são comuns desabafos e brincadeiras. Muitas conversas, sem o devido contexto, podem dar margem para interpretações equivocadas.”

Defesa de Lula

O advogado Cristiano Zanin, representante do Comitê Nacional Lula Livre,  pede a liberdade imediata de Lula e argumenta: “Os processos contra o ex-presidente Lula estão corrompidos pelo que há de mais grave em termos de violações a garantias fundamentais e à negativa de direitos”.
 “Em diversos recursos e em comunicado formalizado perante o Comitê de Direitos Humanos da ONU em julho de 2016 demonstramos, com inúmeras provas, que na Operação Lava Jato houve uma atuação combinada entre os procuradores e o ex-juiz Sérgio Moro com o objetivo pré-estabelecido e com clara motivação política, de processar, condenar e retirar a liberdade do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A reportagem publicada hoje (09/06/2019) pelo portal ‘The Intercept’ revela detalhes dessa trama que foi afirmada em todas as peças…”  

Imagem destaque: a cabeça de Sérgio Moro sobre a mesa

Silvio Reis, jornalista brasileiro

0 comentário
1

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.