Home África Dia de África (Mãe Africa)

Dia de África (Mãe Africa)

por Joffre Justino

De onde todos nós saímos para nos espalharmos planeta fora hoje é um desejo inacabado. Em África a espoliação dos recursos naturais foi brutal, o incentivar  às guerras civis foi  escabroso e o abuso continua a ser demais.

“A maior desgraça de uma nação pobre é que em vez de produzir riqueza, produz ricos.”

Mia Couto

 

E no entanto África parecia florescer quando surgiu esta ideia de comemorar o Dia de Áfricatambém ja chamado Dia da Libertação de Áfricaque comemora comemoração a fundação da Organização da Unidade Africana, OUA hoje União Africana, a 25 de Maio de 1963. 

Recordemos o Primeiro Congresso dos Estados Africanos Independentes em Acra, no Gana, a 15 de Abril de 1958 convocado por Kwame Nkrumah, e que contou com representantes do Egipto, então parte integrante da República Árabe Unida, Etiópia, Gana, Libéria, Líbia, Marrocos, Sudão, Tunísiae a União Popular dos Camarõesnao se tendo convidado a União da África do Suldado o apartheid 

Claro que há que lembrar também o Congresso Pan-Africanoe todos os que nele e com ele se bateram por África 1900, mas o marcante Primeiro Congresso, a 25 de Maio de 1963, com representantes de trinta países africanos reunidos em Adis Abeba, na Etiópia, tendo por anfitrião o Imperador Haile Selassiee com mais de dois terços do continente independente, marca a diferença e de certa forma o Renascimento de África .

Nele pretendeu-se também marcar o desejo de dar independência às então colónias portuguesas e dele nasceu uma carta de princípios  para incentivar a  melhoria dos padrões de vida entre os estados-membros.

Selassie, exclamou: “Possa esta convenção da união durar mil anos.”

Mas porque África foi esquartejada e doridamente mal tratada, em honra dos que lutam pela Democracia, pelo Desenvolvimento Sustentável, pela Distribuição da Riqueza, deixamos aqui um comunicado comemorativo do Dia de África de África vindo – o do Bloco Democrático! 

SECRETARIADO  NACIONAL

Comunicado  Alusivo  ao  25  de  Maio

1. O  Bloco  Democrático – BD   partido  da  cidadania  felícita  todo  o  povo  Angolano  por  ocasião  do  25  de  Maio ,  dia  de  África .

2. O Bloco Democrático – BD  recorda  que  no  longínquo  ano  de  1963,  lideres  Áfricanos   reunidos  em  Addis  Abeba ,  Etiopia ,  proclamaram  a  Organização  de  Unidade  Áfricana , O.U.A ,  no  intuito  de  Coordenarem  esforços  para  lutarem  contra  o  Colonialismo  e  Libertarem  os  Paises  ainda  Subjugados .

3. O  percurso  da  O.U.A ,  implicou a  concertação  política ,  como  o  respeito pelas  fronteiras  herdadas  das  potencias  colonizadoras ,  a  não  Interferencia  nos  assuntos  internos  de  cada  Estado, mas não abdicou do espírito da Unidade visionado por Nkrumah “A África deve unir-se”. Por isto, o surgimento da União Africana, como espaço societário comum.

4. Em  Angola ,  o  25  de  Maio ,  dia  África,  deve  ser  uma  jornada  de  reflexão  da nossa condição africana e do  nosso  papel  na  União  Africana  bem como dos esforços que o Continente tem feito para sair da cauda do desenvolvimento.

5. Com efeito, apesar de pequenos progressos, as lideranças africanas têm sido incapazes de romper com o subdesenvolvimento, com a extrema dependência externa e com os conflitos internos que se ampliam por virtude da desigualdade social que grassa no Continente, muitas vezes encobertas por roupagens religiosas mas igualmente resultantes da supressão de direitos e liberdades por parte de elites egoistas e anti populares.

6. O Bloco Democrático-BD permite-se afirmar que a grande desgraça do Continente reside no facto das eleites não confiarem nos seus próprios povos, prometem demasiado e aplicam, na realidade, agendas não combinadas.

7. Para o Bloco Democrático-BD, a vitalidade dos processos sociais reside nos cidadãos que carecem de liberdade para protagonizarem o seu verdadeiro potencial.

8. O Bloco Democrático-BD confia sobretudo na Juventude Africana, força do nosso porvir, e está confiante que saberá encontrar os entendimentos para reverter a actual condição dos povos africanos.

9. O Bloco Democrático-BD defende:

• A aplicação coerente da Visão Mineira Africana e da Agenda 2063, para que os povos do continente beneficiem das riquezas naturais e encontrem os seus padrões de bem-estar. Tal pressupõe um processo político inclusivo, ou seja, com a participação activa dos cidadãos;

• A criação em todas as fronteiras duma política especial que permita que os povos de uma mesma cultura convivam fraternalmente, eliminando as barreiras artificiais impostas pelo colonialismo que eliminou a coesão social interna, facilitando a gestação de conflitos;

• Que seja oficializada uma língua em África com elementos fonéticos da África do Norte e subsaariana para que, no futuro, os povos se comuniquem mais facilmente e numa base cultural endógena;

• Que os Parlamentos Regionais e Africano passem a ser eleitos e controlados  pelos povos para que os acordos no continente sejam efectivamente cumpridos e África se realize. 

• Que a sociedade civil angolana reforce a sua participação nas instancias da SADC e da União Africana e exijam ao Executivo que cumpra os acordos que estabelece, nomeadamente, as metas do orçamento social, a quota na agricultura e em Inovação e Desenvolvimento, os padrões exigidos dos Direitos do Homem e dos Povos e a inserção da sociedade na estratégia de exploração dos recursos naturais.

10. Finalmente, o Bloco Democrático-BD ,  neste  25 de Maio  reitera  a  sua  firme  convicção  que  a  Justiça  e  o  respeito  pelos  direitos  Humanos,  enquanto  pilares  da  Democracia  e  do  estado  de  Direito,  devem  ser definitivamente  conquistados para o progresso desejado dos nossos povos.

Por um futuro com Liberdade, Modernidade e Cidadania,     

SECRETARIADO NACIONAL DO Bloco Democrático-BD, Luanda  aos  24  de  Maio  de  2019

Foto de destaque: palmares.gov.br

JJ

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.