Home Direitos Humanos António Guterres, a defesa dos Acordos de Paris e a recusa da violência

António Guterres, a defesa dos Acordos de Paris e a recusa da violência

por Joffre Justino

O hoje secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, denunciou  aos jornalistas na Nova Zelândia  a crescente perda de vontade política para combater as alterações climáticas apesar da situação estar a piorar para os que sentem os seus efeitos “Vemos em toda a parte a demonstração óbvia de que não estamos no caminho certo para atingir as metas estabelecidas pelo acordo de Paris”, enfatizou o secretário-geral, segundo a France Press.

O Acordo de Paris assinado por 195 países-membros da ONU, hoje recusado pelos EUA e o Brasil de Trimo e Bolsonaro, tem o objetivo de conter o aquecimento global abaixo de dois graus celsius “… o paradoxo é que, quando as coisas pioram, as medidas políticas parecem estar a recuar”, acrescentou Guterres numa conferência de imprensa em Auckland, com a primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern.

Entretanto o secretário-geral da ONU afirmou que costuma visitar um país muçulmano durante o mês sagrado do Ramadão, mas que este ano decidiu visitar os muçulmanos na Nova Zelândia como um tributo à sua coragem e resistência, demonstrando admiração pela solidariedade mostrada no país após o ataque.

Guterres elogiou ainda a primeira-ministra da Nova Zelândia por estar  a implementar novas leis de controlo de armas e por instar outros líderes mundiais e empresas de tecnologia a encontrem uma maneira de evitar que atos de extremismo sejam mostrados online, como aconteceu com o ataque de março.

Foto de destaque: Visualhunt

JJ

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.