Home Brasil Comunicado do Movimento dos Sem Terra Brasil

Comunicado do Movimento dos Sem Terra Brasil

por Joffre Justino

Perante o insulto às Mulheres do Brasil típico de uma boca fascista basta-nos em tom de protesto divulgar este comunicado do MST.

O MST vem a público repudiar as recentes declarações de Jair Bolsonaro feita à jornalistas na última semana. Nas palavras do presidente, o Brasil “não pode ser o País do turismo gay” porque “temos famílias”. Como não fosse o suficiente, Bolsonaro arremata sua fala com a seguinte frase: “quem quiser vir aqui fazer sexo com uma mulher, fique à vontade”.

Esse ataque boçal de Bolsonaro aconteceu diante da recusa do Museu de História Natural de Nova York em receber o presidente, alegando contrariedade diante de suas posições homofóbicas. 

Ao bater com a cara na porta, ele saiu atirando nos gays e oferendo as mulheres como se fossem commodities do seu sangrento e assassino agronegócio.

Não estamos à venda! E exigimos respeito para todas, inclusive para as mulheres profissionais do sexo. 

As declarações do presidente são sádicas, dotadas de um barbarismo que afronta toda e qualquer forma de família.

Afirmamos que ao publicar essa nota, não queremos amplificar as bobagens ditas por um maluco. Aqui não se trata de bobagem e loucura e muito menos de cortina de fumaça.

Declarações como essas, partindo de um chefe de Estado, incentivam o turismo sexual de mulheres, crianças e o tráfico humano – o Brasil ocupa a posição 11ºno ranking de exploração sexual de crianças e somos o país da América Latina que mais trafica pessoas, a maioria mulheres e crianças. 

Por isso, a luta deve ser conjunta contra a retirada de direitos, não à reforma da Previdência, por Lula livre, em defesa da soberania popular e, ao mesmo tempo: basta de violência contra as mulheres, fim ao extermínio do povo negro e justiça por Marielle e todas e todos assassinatos políticos.

Afirmamos que: não são duas lutas! Não são “pautas políticas e econômicas” de um lado e “identitárias ou de costume” de outro.

Temos que ampliar a resistência e transformar a nossa indignação em luta nas ruas. Enquanto morar, trabalhar, comer e viver for um privilégio, ocupar é um direito fundamental!

Crescemos somente na ousadia! Adiante mulheres! Vamos plantar ousadia pra colher rebeldia. 

E aos capitães do poder gritamos juntas, em milhares de vozes: tirem suas mãos nojentas dos nossos corpos e dos nossos direitos! “Eles combinaram de nos matar, mas nós combinamos de não morrer.” (Conceição Evaristo)

Direção Nacional do MST

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.