Home Efemérides Comemorações do V Centenário da Circum-Navegação decorrem até 2022 e incluem repetição da viagem pelo Navio-Escola Sagres

Comemorações do V Centenário da Circum-Navegação decorrem até 2022 e incluem repetição da viagem pelo Navio-Escola Sagres

por Antonio Sousa

Segundo o ministro Augusto Santos Silva, o objetivo do programa das comemorações dos 500 anos da viagem de circum-navegação que terão se iniciam no ano em curso é ” transformar Magalhães, a expedição de Magalhães e as redes magalhânicas num tema, uma espécie de mote contínuo que ilumine o que as escolas, os centros de investigação, a Marinha e os restantes ramos das Forças Armadas, a ação cultural externa, as instituições culturais públicas, as nossas redes de turismo e os nossos sistemas de apoio ao empreendedorismo fazem de 2019 a 2022”.


Estas comemorações, vão decorrer entre 2019 e 2022 geridas por uma comissão nacional que junta “os diferentes ministérios, as duas regiões autónomas, os municípios portugueses, as freguesias portuguesas, as universidades e demais instituições de ensino superior públicas e privadas, as cidades especificamente organizadas na sua rede, as fundações e as sociedades científicas”, informou Santos Silva.

efeméride desenvolver-se-á por via de um conjunto de eventos que sirvam “de inspiração, de mote e de alimento” para que entidades de diversos setores possam “pensar o mundo de hoje”, “Aquilo que Magalhães e os outros fizeram, em 1519, foi pensar o seu mundo, as oportunidades do seu mundo, as descobertas possíveis, as maneiras possíveis de abrir novos caminhos e novos espaços”, referiu o ministro, acrescentando que também é isso que nos importa fazer hoje: “pensar a globalização”.


O exemplo de Fernão Magalhães ajuda-nos a pensar melhor sobre os temas dos oceanos, das comunicações entre as pessoas, da cooperação entre países diferentes e entre povos diferentes, da ciência, da tecnologia, “do casamento entre o conhecimento da ciência e a sua aplicação lógica”, assinalou o MNE

Todos os artigos

Santos Silva acentuou a   dimensão internacional das comemorações, uma vez que a expedição de Fernão Magalhães constituiu “um esforço de cooperação» em que participaram «pessoas provenientes de diversos países”, com “A concertação entre os países, as culturas e a cooperação entre as sociedades é o alimento essencial de que nós precisamos para enfrentar os problemas que nos tocam hoje a todos”.

No final do primeiro trimestre deste ano será apresentando em Espanha, com a presença dos portugueses, e em Portugal, com a presença dos espanhóis, o programa de atividades conjuntas luso-espanholas para celebrar a viagem de circum-navegação iniciada por Fernão de Magalhães e terminada por Elcano.

Portugal está ainda a trabalhar ativamente com outros países, como o Chile ou o Uruguai, que também vão comemorar esta expedição, já que o trajeto de Magalhães “simboliza bem aquele que é o lugar e o papel de Portugal hoje no mundo: uma ponte que liga a Europa, a América Latina, a África e a Ásia”, como afirmou Santos Silva.

Também a Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, referiu  à imprensa, que a iniciativa “vai procurar trazer, para os dias de hoje, aquilo que foram acontecimentos que marcaram o mundo”, designadamente, “o início da globalização, o início da inovação tecnológica que permitiu aumentar o conhecimento e, também, o início da nossa forma de estar, que é fazer parcerias, e através de parcerias, sejam elas locais, com Espanha ou a nível global”.

Do programa oficial já fazem parte mais de 70 projetos e ações da responsabilidade de diferentes ministérios, instituições e sociedade civil e o Ministério da Defesa Nacional, através da Marinha, vai organizar durante os próximos quatro anos seis iniciativas no âmbito das Comemorações do V Centenário da Circum-Navegação, pois a Academia da Marinha vai promover um Ciclo de Conferências – Simpósio de História Marítima, com o objetivo de divulgar estudos e comunicações subordinados ao tema 12 Comemorações do V Centenário da Circum-Navegação’. As ‘Jornadas do Mar 2020’, organizadas pela Escola Naval, incidirão sobre as temáticas da viagem de circum-navegação.

Já o Navio-Escola Sagres irá realizar, em 2020, uma viagem de circum-navegação. A escolha do ano permite que o navio esteja em Tóquio para ser a “casa de Portugal” durante os Jogos Olímpicos.

Já o projeto ‘Céu de Magalhães – 3 Anos em 30 Minutos’ traduz-se numa demonstração ao público em geral, e sobretudo ao público escolar, da dimensão do feito do navegador português, numa apresentação em cerca de trinta minutos dos diferentes “céus” que Fernão de Magalhães foi presenciando, durante a sua viagem de três anos.

O projeto ‘Roteiros e Rotas de Magalhães’, pretende investigar e estudar “as rotas de Magalhães” e assim, revisitar os caminhos percorridos e os procedimentos náuticos dos pilotos, tendo em conta as limitações impostas pelo conhecimento e mentalidade da época, bem como pelos agentes físicos e características dos navios à vela, informa o Ministério da Defesa Nacional.

Por fim, o projeto ‘Da Marinha do tempo de Magalhães até à atualidade. Uma experiência a bordo de um navio”’, consiste na realização de embarques temáticos para jovens em idade escolar onde seja feita uma apresentação da evolução da navegação e embarque em navios do tempo de Magalhães à atualidade.


O presidente da Estrutura de Missão para as Comemorações do V Centenário da Circum-Navegação, José Marques, referiu que o programa tem uma enorme “ambição”: projetar o “feito de Magalhães no futuro, inspirar as novas gerações, sublinhar o papel de Portugal e dos portugueses de ontem e de hoje, na valorização do conhecimento, na construção de uma visão cosmopolita e tolerante, promovendo os valores da sustentabilidade e da cooperação como pilares de uma nova agenda internacional”.


Fernão de Magalhães notabilizou-se por ter organizado e comandado a primeira viagem de circum-navegação ao globo, ao serviço do rei de Espanha gerando uma polémica entre os conservadores espanhois e o governo das Espanhas que estão contra a presença portuguesa nestas comemorações 

A viagem, a bordo da nau Victoria, começou a 20 de setembro de 1519, em Sanlúcar de Barrameda(sul de Espanha), e terminou a 06 de setembro de 1522, no mesmo local. Fernão de Magalhães foi o primeiro europeu a atravessar o estreito entre os oceanos Atlântico e Pacífico, a sul da América do Sul, mas não terminou a expedição, uma vez que morreu nas Filipinas, em 1521, aos 41 anos.

Foto de destaque: Wikipedia

António Sousa (Com Agências)

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.