Home Cidadania “ALÉM DO DEVER” – Aristides de Sousa Mendes, um justo entre as nações.

“ALÉM DO DEVER” – Aristides de Sousa Mendes, um justo entre as nações.

por Teresa Pedro

Na evocação do Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto no 27 de janeiro, pelo que, em mensagem especial, o secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou ser fundamental que a humanidade se una na luta pelos valores universais e na construção de um mundo de igualdade para todos. Importa mencionar que o tema destaca ainda o 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos e a Convenção sobre a Prevenção e Punição do Crime de Genocídio. (1) 

Em tempos conturbados da atualidade, multiplicam-se de forma vertiginosa, fenómenos de diversificadas origens e motivações, tentando mobilizar todos os públicos possíveis como alvo, adotando programas ou slogans que a todos podem seduzir e/ou ludibriar, pelo uso de um vasto leque de problemáticas e paradigmas que caraterizam a sociedade atual, fonte de desconforto generalizado, acrescido ainda, de tentativas absurdas de denegar o Genocídio Nazi. 

Perante uma realidade com múltiplas variantes, que é também explicável pelo sentido de urgência na resolução de problemas que exigem serenidade e calma, apressam-se os “interesses”, no intuito de não permitir a ponderação, informação, a análise isenta…sendo que os “movimentos” de toda a ordem, alguns deles, surgem denominados como pertencendo a uma “geração do ódio”, numa amálgama de diversidade que urge contemplar numa intervenção permanente, equilibrada e una, com limites claramente estabelecidos, que cumpram o respeito integral da Dignidade Humana. 

Felizmente o ser humano apesar da sua dualidade, reinventa-se de forma criativa usando da sua capacidade crítica e interventiva, visando o Bem Comum.

Assim o fez Aristides de Sousa Mendes, amplamente evocado e homenageado, lembrado, em várias instâncias e locais do Mundo. 

Destes factos, dava conta o artigo “Dia Internacional das Vítimas do Holocausto” (publicado no dia 27 de janeiro de 2019), redigido com mais uma das preciosas colaborações do neto de Aristides de Sousa Mendes, António De Moncada Sousa Mendes. (2)

ARISTIDES DE SOUSA MENDES – ALÉM DO DEVER

As comemorações deste ano ainda em curso na ONU, têm como tema Lembrança do Holocausto: Exija e Defenda os Seus Direitos Humanos, com o objetivo de encorajar os jovens a aprenderem com as lições do Holocausto, agir contra a discriminação e defender os valores democráticos nas comunidades, num momento em que se assiste a tentativas de reescrever a história e de distorcer os fatos do Holocausto, citando António Guterres.

Aristides de Sousa Mendes, foi celebrado como figura de destaque de entre os Diplomatas homenageados como Justos Entre as Nações, por terem agido para “Além Do Dever”.

Relembrando António De Moncada Sousa Mendes, neto de Aristides de Sousa Mendes (3), sobre esta efeméride, recordou a importância do evento por representar o reconhecimento mundial e oficial ao mais alto nível da diplomacia internacional do feito de meu avô e outros diplomatas, pelo modo como agiram sem autorização superior, tomando medidas que eles próprios improvisaram no sentido de salvar vidas humanas.

Lembrou ainda, no artigo supramencionado, que “(…) a iniciativa de comemorar e reconhecer o valor e a coragem do “Além Do Dever”, se justifica porque agiram até ao limite em situação dramática, antecipando-se e ultrapassando as a ordens dos seus superiores hierárquicos em absoluta Consciência! Isto é notável e ainda hoje de difícil compreensão, (…) para salvar vidas humanas.”

Antonio Guterres – Sec. Geral das Nações Unidas

ATIVIDADES COMEMORATIVAS EM CURSO

– Foi inaugurada com a presença do secretário-geral da ONU, António Guterres, a já mencionada Exposição “Além Do Dever”, dedicada aos diplomatas que salvaram judeus durante o Holocausto, ainda em exibição nas Nações Unidas.

Dos 36 nomes da lista do Yad Vashem, seis eram diplomatas suecos, cinco eram suíços, quatro espanhóis e dois de Portugal, Romênia e Brasil. O diplomata português, Aristides de Sousa Mendes, cônsul geral de Bordéus em 1940, antes da invasão alemã, desobedeceu às ordens do governo de Salazar e emitiu cerca de trinta mil vistos, pelo feito, é a figura de destaque da Exposição na ONU, que contou com a colaboração do Governo Português.

– Em Portugal, a Assembleia da República (4) organizou uma Cerimónia de Evocação do Dia de Memória do Holocausto, no dia 31 de janeiro às 17h30. Nesse evento, foi o exibido o filme “Drawing Against Oblivion”, de Barbel Jacks.

Nesta Cerimónia no mesmo dia, foi inaugurada aExposição “Desenhar Contra O Esquecimento”, de Manfred Bockelmann, ainda em exibição na Assembleia da República. 

SEM MEMÓRIA NÃO HÁ IDENTIDADE – #WeRemember – #NeverForget

Esta frase que ecoa insistentemente, já devidamente abordada em artigos anteriores no Estrategizando, contra o esquecimento, tem impulsionado por todo o mundo ao longo dos anos, várias efemérides e outras iniciativas ligadas ao Holocausto e a Aristides de Sousa Mendes.

Felizmente esta consciência coletiva de alerta em jeito de aviso para a Humanidade, tem-se manifestado de modo exponencialmente visível, diversificado e criativo ao longo dos anos em múltiplas instâncias, por iniciativas várias.

Algumas já foram referenciadas pela via de artigos do Estrategizando, nomeadamente o mencionado (2), sendo que é de vital importância indicar outras, que trabalharam com o intuito de dar a conhecer, comemorar e sensibilizar as respetivas comunidades, fazendo uso de diversas vias, reconhecendo em particular, décadas atrás, o especial entusiasmo crescente e papel inequívoco dos professores.

– Instituições não governamentais, Câmaras Municipais usando de seus vários recursos, Bibliotecas Municipais, entre outros;

– Agrupamentos de Escolas ou Escolas Não Agrupadas, através da iniciativa de BE/CRE (Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos), projetos escolares articulados ou não, Concursos, publicações em jornais escolares ou outros associados, blogues e páginas na Internet, atividades diversificadas em contexto de sala de aula, e tantas outras…;

– Agrupamentos de Escolas ou Escolas Não Agrupadas, através de Clubes sejam eles de Jornalismo, Direitos Humanos, entre outros, seja ainda através de Escolas Associadas – Redes UNESCO, algumas tendo como patrono, Aristides de Sousa Mendes;

– Dedicação individual à Causa dos Direitos Humanos e Aristides de Sousa Mendes, pela disseminação e partilha de informação, eventos (entre outras possibilidades) através de múltiplos suportes e meios, como publicações de artigos em várias publicações e organizações recetivas, blogues, grupos em redes sociais, quer ainda através da escrita;

– Refugiados e descendentes de Refugiados, salvos ou não por Aristides de Sousa Mendes espalhados por todo o mundo, que se organizam dinamizando atividades de elevada dimensão e intervindo nas instâncias das comunidades locais, com apoio de Comunidades Judaicas, entre outras como as comunidades de emigrantes portugueses, todas igualmente empreendedoras no reconhecimento de Aristides de Sousa Mendes.

Finalmente, as Fundações Aristides de Sousa Mendes (em Portugal e nos Estados Unidos), sendo que a Portuguesa, foi criada pelos netos António De Moncada Sousa Mendes e Álvaro De Alpoim Sousa Mendes, verdadeiros visionários que à Causa da reabilitação do nome do seu avô e da Casa do Passal dedicaram incansavelmente décadas de vida, visitando escolas por todo o país, aderindo a todas as atividades, eventos, representações oficiais, fosse qual fosse a sua dimensão ou visibilidade, imbuídos de verdadeiro espírito pioneiro na grande missão das suas vidas e angariando valiosos apoios espontâneos.

A ambos e aos que abraçaram esta Causa, todos os Homens e Mulheres de Boa Vontade, só poderão estar profundamente gratos visando o futuro das novas gerações.

Teresa Pedro

_____

Notas:

(1) Mensagem do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres 

(2) https://estrategizando.pt/2019/01/2017dia-internacional-em-memoria-das-vitimas-do-holocausto/

(3) António De Moncada Sousa Mendes, é autor do livro “Aristides de Sousa Mendes – Memórias de Um Neto” das Edições Desassossego, outubro de 2017 

(4) Organização da Assembleia da República Portuguesa, com o seu alto patrocínio, da Embaixada da Áustria e da Embaixada Da República Federal da Alemanha em Lisboa de acordo com cartaz que divulga o evento e que pode ser consultado no artigo referido na nota (2)

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.