Home Cidadania Debater ideias incentivar relações pôr fim ao ambiente de má língua e fake news

Debater ideias incentivar relações pôr fim ao ambiente de má língua e fake news

por Joffre Justino

Vamos mesmo dizer ao criador da internet, Tim Berners-Lee – Parabéns – porque apresentou ao mundo das redes sociais uma Proposta/Aposta a defender hoje “um contrato” entre utilizadores, empresas e governos de todo o mundo para “tornar a ‘web’ num sítio melhor”, uma web enfim que reduza desigualdades e respeite a privacidade.

Disse-nos TBerners-Lee que “Temos de criar um contrato para a ‘web’. […] E esse deve ser um contrato com vários princípios para as pessoas se juntarem. Por isso, estou a pedir a vossa ajuda, seja através da vossa empresa ou por vocês próprios”, é nós aqui estamos a divulgar o Apelo e a deixar s nossa opinião.

Tim Berners-Lee um fundador e um tambem leader nas redes sociais assumiu que “Somos todos responsáveis por tornar a web num sítio melhor”.

“Proponho-vos que façam parte disto. Nós conseguimo-lo fazer juntos”.   

Tim Berners-Lee soube recordar que, em 1989, a ‘web’ queria-se uma rede de livre acesso e que servisse a humanidade e não dizê-mo-lo nós um espaço de quezília de ódios balofos de fake news e má língua .

“E quando ninguém esperava, a ‘web’ criou coisas incríveis”, acentuou sendo que também, “sugiram algumas preocupações”, nomeadamente em questões como a privacidade e a segurança ‘online’, mostrando para denunciar imagens referentes a perfis falsos em redes sociais e a manipulação na internet.

O erro não está nas redes sociais está sim no abuso que nelas os maus marketeers fazem manipulando mentindo acicatando ódios 

Outro desafio que nos deixou é o como possibilitar o acesso à internet a todas as pessoas, já que, de momento, apenas “uma metade” do mundo consegue ter.

É nesse contexto que o criador defende este “contrato”, que tem como mote “Pela Web” (ou como ‘hashtag’ #fortheweb), visando criar valores de equidade e de segurança para todos os utilizadores da internet.

Do nosso ponto de vista se a equidade e a segurança são essenciais há que assumir a solidariedade como filosofia de estar da e na rede auxiliando e motivando para um mundo mais livre com mais justiça e nesta justiça social e respeito mútuo 

“Precisamos ter a certeza de que as pessoas que estão ligadas à ‘web’ podem criar o mundo que desejam e usá-lo para corrigir os problemas que existem”, e defendeu que a internet seja “mais pacífica e mais construtiva”.

Nesta terceira edição em Lisboa, que os organizadores querem que seja  “a maior e a melhor” de sempre, com novidades no programa e o alargamento do espaço, sendo esperados mais de 70 mil participantes de 170 países.

Ora a cimeira tecnológica, de inovação e de empreendedorismo esta Web Summit que nasceu em 2010 na Irlanda e mudou-se em 2016 para Portugal e desde essa altura terá gerado um impacto económico de mais de 500 milhões euros continua a esquecer os que são info excluídos por falta de rendimentos eis lhes permita aceder à net ou pela falta de Saber que lhe abra esse acesso 

No ano passado, o evento da Web reuniu na capital portuguesa cerca de 60 mil pessoas de 170 países, das quais 1.200 oradores, duas mil ‘startups’, 1.400 investidores e 2.500 jornalistas vamos ver até onde irá esta WebSummit !

 

Joffre Justino

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.