Home Cidadania Sorteio faz sair Ivo Rosa

Sorteio faz sair Ivo Rosa

por Joffre Justino

Ganhámos a aposta Ivo Rosa,

…que não foi apostar nele, mas sim apostar que, se ele ganhasse os paparazzis iriam dizer, gritar, estrebuchar sobre a havida bruxaria no electrónico sorteio se um tal que se diz juiz Carlos Alexandre perdesse neste sorteio o “bolo-rei” que teve anos a fio e os brindes que terá ganho na sua possível célula opusdeista.

Disseram, gritaram, estrebucharam aqui d’el rei que houve bruxaria chegando a haver conta-se cenas de mutilação pública mas só reservadas às presenças nas mesmas células(!).

Mas é Ivo Rosa quem vai liderar a fase de instrução da Operação Marquês.

Na verdade o sério é que na PGR há quem acuse Ivo Rosa de arquivar processos fortes para a publicidade “da casa” elemento negocial para a melhoria da vida dos da mesma PGR e gerar a absolvicao dos arguidos em vez de infindáveis notícias e falsos amargos de boca tao bons para a melhoria das condições de vida de alguns dos procuradores pelo menos.

Na realidade Ivo Rosa tem é fama de ser implacável no cumprimento de prazos e na defesa de prazos e celeridade nas sentenças.

Natural da Madeira, Ilicenciou-se em Direito, na Universidade de Coimbra, e em 1991 foi assessor jurídico da Câmara Municipal do Funchal ( PSD portanto) e, nesse mesmo ano, embarcou para Lisboa para se tornar juiz pelo Centro de Estudos Judiciários aos 26 anos.

Em 2006 esteve em Timor conflituando com o Governo timorense e o Conselho Superior da Magistratura e alguns anos mais tarde na Guiné-Bissau e regressado a Portugal, tornou-se juiz-presidente das Varas Criminais de Lisboa e em 2015 chegou ao Tribunal Central de Instrução Criminal, pondo fim ao totalitarismo presencial de Carlos Alexandre no tribunal especial que apenas trata da instrução dos processos do Departamento Central de Investigação e Ação Penal, DCIAP.

Já agora quanto ao sorteio electrónico que distribuiu os processos há que dizer começou pelas 16.12h e demorou alguns minutos devido a complicações informáticas sendo o número do processo inserido no computador e entregue de forma aleatória a Ivo Rosa e ponto final.

Estiveram a assistir vários jornalistas, uma advogada de defesa de Henrique Granadeiro, já que a maioria dos advogados que tinham pedido para comparecer acabou por não estar presente, assim como não esteve o consultor técnico que a defesa de José Sócrates tinha solicitado tendo-se visto muitas figas ( falhadas) nas mãos de quase todos os jornalistas … temos pena como diz uma amiga nossa !

Foto de destaque:  luca.sartoni on Visual Hunt / CC BY-SA

Joffre Justino

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.