Home Artes Karl Marx – a luta de classes é o motor da História? O PCP diz que sim na Festa do Avante…

Karl Marx – a luta de classes é o motor da História? O PCP diz que sim na Festa do Avante…

por Joffre Justino

Por espantoso que pareça, até na conservadora Alemanha,  ao todo ocorreram  cerca de 600 eventos para celebrar o bicentenário de Karl Marx, autor de o Manifesto Comunista e de O Capital, elementos centrais do pensamento das Esquerdas desde os finais do século XIX, mesmo em Portugal, onde até não poucos Republicanos se disseram como Afonso Costa, marxistas ! 

Tivemos no Estrategizando a sorte de termos uma sócia da nossa cooperativa a visitar Treveris Trier, a cidade onde nasceu Karl Marx. Uma urbe de pouco mais de 100 mil habitantes, no oeste da Alemanha, ela soube inaugurar uma estátua de bronze do filósofo Karl Marx, um monumento tem 5,5 metros de altura e é o maior até hoje erguido em solo alemão oferecido pela República Popular da China à cidade.

Numa cerimônia, que contou com a presença de 200 convidados de honra da cidade, incluindo o vice-ministro chinês da Informação, Guo Weimin, e a líder do Partido Social-Democrata, SPD,  alemã Andrea Nahles.

Karl Marx  foi o pensador central f a social-democracia mundial “como poucos” afirmou a líder da centro-esquerda alemã sem problemas em o fazer como em reconhecer que o SPD não é mais um “partido de visão marxista”.

No Estrategizando temos tratado o bicentenário do Nascimento de Karl Marx num dossier já com forte impacto e por isso temos sem drama, acompanhado as atividades comemorativas do PCP e do BE lamentando que o PS se tenha esquecido que se afirmou marxista em largo período da sua vida.

 

É com simpatia portanto que vetificámos a forte presença deste centenário na Festa do Avante e como ela dizemos sem problemas que há que transformar o Mundo mesmo que hoje a luta de classes pareça difusa na realidade social vigente.

Difusa mas bem presente com a evolução das forças produtivas a anular postos de trabalho num remake do vivido fins do século XVIII princípios do XIX e a gerar uma multidão de proletários já não na Europa por ora mas sim planeta fora onde a industrialização via deslocalização gera forte instabilidade social

O que sucede hoje, segundo muitas pessoas, é que não estando à vista um renovado Manifesto Comunista e vivendo nós um tempo de desarticulação e de perda de visão das Esquerdas, quem está a ganhar nesta fase da luta de classes ainda é como diz Warren Buffet, a elite desnacionalizada gerada neste tempo de Livre circulação de capitais, de já contestada livre circulação de bens e serviços ( vidé o trumpismo) e de bloqueamento à Livre Circulação de Pessoas (a crise dos refugiados, Não É livre circulação claro).

Joffre Justino

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.