Home CPLP Só não houve um Shakespeare para o cantar ! Mas Santa Maria da Feira relembra !

Só não houve um Shakespeare para o cantar ! Mas Santa Maria da Feira relembra !

por Joffre Justino

Em 2018 a Viagem Medieval em Santa Maria da Feira inicia-se na quarta-feira e, entre 140 encenações diárias de 67 espetáculos diferentes, surge aque contará como Inês de Castro foi coroada rainha depois de morta uma das cenas mais emblemáticas de amor e paixão lusas.

A recriação histórica, que aproveita 33 hectares no centro da cidade para cenários da Idade Média, apresentará também esta histórica cena no cortejo “De amada a Rainha”, a estrear às 22:00 logo no primeiro dia do evento e a repetir-se na segunda-feira seguinte, sempre com partida do castelo da Feira e fechar na Praça da Nau.

A paixão de D. Pedro por Inês é uma vivência amorosa intensa que foi até à perseguiçao como é sabido dos seus assassinos e os matou, arrancando-lhes os corações”, conforme relato à Lusa feito pelo diretor-geral, Paulo Sérgio Pais que recorda que de seguida “mandou desenterrar Inês, coroou-a rainha mesmo como cadáver e obrigou os nobres da corte a beijarem-lhe a mão em sinal de respeito”, num ato de revolta e paixao raro na História!

Não esqueçamos ainda o cortejo temático desta edição de 2018 que é “Justiceiro e Cruel” a acontecer nas duas quintas-feiras do evento, sempre às 22:00, é que relata as razões pelas quais D. Pedro merecia ambos os epítetos: era feroz nos castigos e punia de igual forma tanto os elementos do povo como os da nobreza e do clero.

O Pedro apreciador de folias, por exemplo, apresentar se á no espetáculo “Folguedo de D. Pedro”, todos os dias em cena às 18:00 no terreiro das Guimbras, junto ao rio que relata o como seria a chegada do monarca a um povoado onde, mesmo que os hábitos fossem pacatos, rapidamente se transformaria num arraial para fazer festa que entretivesse o rei.

Às 21:30, segue-se o evento “Amor até ao infinito”, outra produção onde se relatam episódios de um reinado marcado “pela sede de justiça e de vingança de D. Pedro, cujo coração estava desfeito pela morte da sua amada” e pelas 23:30, assistir se à no mesmo espaço ao espetáculo Sangue de Portugal”, que mostrará como o assassinato de Inês de Castro por ordem de D. Afonso IV, pai de D. Pedro, gerou uma guerra entre os dois e uma consequente onda de destruição pelo reino.

A 22.ª Viagem Medieval mostra ainda entre os seus 140 momentos de animação diária duas produções específicas para a Praça Gaspar Moreira, o “Grito dos Tambores”, com o teatro a cruzar com o potencial cénico da percussão, e o “Grito das Bailias”, em que 44 bailarinos de vários coletivos de dança executam coreografias ao melhor estilo da Idade Média.

A última proposta da noite será sempre a parada “Folia de D. Pedro”, que às 00:30 fará desfilar dança, música e malabares entre a CERCI da Feira, o Rossio e a Praça da Nau.

Este evento é uma organização da Câmara Municipal da Feira, da empresa municipal Feira Viva e da Federação das Coletividades de Cultura e Recreio do concelho.

Joffre Justino

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.